quarta-feira, 14 de abril de 2010

Um poema de Cecília Meireles

Canção


Pus o meu sonho num navio

e o navio em cima do mar;

- depois, abri o mar com as mãos,

para o meu sonho naufragar


Minhas mãos ainda estão molhadas

do azul das ondas entreabertas,

e a cor que escorre de meus dedos

colore as areias desertas.


O vento vem vindo de longe,

a noite se curva de frio;

debaixo da água vai morrendo

meu sonho, dentro de um navio...


Chorarei quanto for preciso,

para fazer com que o mar cresça,

e o meu navio chegue ao fundo

e o meu sonho desapareça.


Depois, tudo estará perfeito;

praia lisa, águas ordenadas,

meus olhos secos como pedras

e as minhas duas mãos quebradas .

3 comentários:

  1. Pode ser bom alguma vez chorar. Mostra que rendeu emoções. Fez sentir vida. Foi bom.

    Fabi, obrigado por sua doce atenção ao meu Bronson; obrigado por vir ao meu blog, e por me apoiar. Serei sempre grato e contarei com sua atenção.

    Abraço do Jefhcardoso!

    ResponderExcluir
  2. Olá gostaria de convidá-lo a conhecer meu trabalho através do blog Ecos do Teleco Teço (WWW.ECOSDOTELECOTECO.BLOGSPOT.COM) . Grande abraço e sucesso com sua proposta !! Axé

    ResponderExcluir
  3. Adoro Cecília Meireles, definitivamente adoro! Já leu Solombra?
    Obrigada pela visita :)

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...